12.1.09

piquenique imaginário




sem muita complicação
soprando umventinhomorno
dissipando a serração
coisa de nuvem quentinha
de nuvem coloridinha
acostumada com o mundão.

*

Numa curva sinuosa, mergulharam muito juntos.
De mãosolhosbraços dados.
E foi tudo muito rápido. E de muito alto. E muito fundo.
E mesmo de muito longe, dando a volta ao mundo, não sabia o que seria, mas sabia que era ali.
(Isso da parte dele.)
Teve um pouco de vergonha, nuvem de arco-íris, mas sabia que algo estava pracontecer.
(Isso da parte dela.)
Não sabiam muita coisa, na verdade quase nada.
Só realismo-fantástico para poder explicar.
Ela não tinha medo de escuro. E ele não precisava ter.
De mãosolhosbraços dados ficava tudo mais fácil.
Depois de um jardim de orquídeas, e olhares e carícias,
a queda era iminente, acidamente sabida, jogo que não se joga,
salto no infinito, piquenique imaginário,

" namora comigo?"


3 comentários:

Anderson disse...

Sensacional, é muito bonito esse encontro...
Parabéns!

amores brutos disse...

é querido..
caprichos do destino.
pauzinhos q o piadista maior movimenta.

valeu a visita, vc é sempre bien venido!!

bj

IMAGE disse...

Privilegiado da Arte Ilustração 2!

nossa, essas palavras de certo modo entra na gente V!

Pequena grande!